Outros Tapetes
Comentário 1

Cris Guerra no Tapete

Cris Guerra é escritora e colunista de moda e comportamento. Isso para os outros. Para mim, é uma amiga querida, cuja história de vida é inspiração líquida, para beber virando o copo. É dela uma das frases que gostaria de ter dito: “Tenho tanto azar, mas tanto azar, que vira sorte”. Azar que nada, Cris tem é muito bom humor e a capacidade de rir de si mesma, característica que atribuo a pessoas inteligentes. Em 2010, ela jogou a âncora fora e subiu no tapete. Conversei com ela sobre a experiência.

O que motivou a ruptura com o modelo tradicional de trabalho? Você teve medo? Se teve, como enfrentou?

edsonbrow6Eu era redatora publicitária, tinha uma carreira bem sucedida de 20 anos trabalhando em agências. Em 2007, criei dois blogs sem nenhuma pretensão, mas em um ano eles começaram a mudar o rumo da minha profissão. O Hoje Vou Assim, primeiro blog de looks diários do Brasil, tinha sua audiência crescendo dia a dia e, junto com ela, novos caminhos se abriam. Eu era convidada para palestrar em outras cidades, bem como participar de ações de marketing de marcas de cosméticos e roupas, mas o trabalho fixo numa agência me impedia de ir. Demorei um tempo para ter coragem, já que eu era viúva, tinha um filho ainda muito pequeno, já não tinha meus pais vivos e não tinha um patrimônio construído – casa própria, essas coisas. Mas, o caminho se tornou inevitável. Meu prazer em trabalhar com moda foi aumentando, minha afinidade com o assunto não parava de crescer e o resultado é que eu estava muito mais inteira no blog do que na agência. Eu precisava tentar, mas demorei a fazer isso por medo. Quando eu decidi, em 2010, fui comunicar à minha chefe e também ao meu irmão mais velho, que sempre foi meu conselheiro nesses assuntos, e nenhum deles achou estranho. Eles já estavam esperando por esse passo. Tive medo, sim, mas os trabalhos estavam pipocando, então não tinha por que ter medo. Mas confesso que demorei muito para encontrar as pessoas certas com quem trabalhar. Dei muita cabeçada. Só quatro anos depois é que considero que encontrei uma equipe bacana para me assessorar na venda da minha imagem, das minhas palestras etc. E acabei trabalhando muito com comportamento, e não só com moda, já que comecei a escrever crônicas para revistas (hoje escrevo na Veja BH) e também falo sobre comportamento nas minhas colunas de rádio.

Uma vez você disse que na nova fase, “Chovia dinheiro, só que às vezes no Sul, às vezes no Nordeste, e você tinha que ir lá buscar”. Como foi o processo de adaptação?

Essa parte é bem difícil. Eu estava acostumada com o salário na conta todo começo de mês, e quando me tornei autônoma tinha que correr atrás dos recebimentos. Nota fiscal, cobrança de cada trabalho. São coisas que tomam o nosso tempo, nos roubam momentos em que deveríamos estar dedicados ao trabalho. Ganhamos mais, mas dá mais trabalho para receber o dinheiro. Como resolver isso? Eu acabei entendendo que teria que ter alguém para me ajudar nessa parte financeira. Tenho uma fiel escudeira que cuida das emissões de notas, recebimentos e cobranças. É um novo custo, mas nos poupa tempo e stress, o que pra mim se traduz em dinheiro.

Por um tempo você manteve um escritório comercial. Ao abrir mão dele, o que perdeu e o que ganhou?

Essa parte pra mim é a mais difícil. Me tornei autônoma para ser dona de mim mesma, dos meus horários, mas isso não é muito fácil no começo. Você começa a misturar as coisas. Por um tempo tive escritório, mas depois achei mais prático trabalhar em casa. Outro desafio: você precisa que as outras pessoas respeitem isso. Meu filho tinha muita dificuldade para respeitar, mas está aprendendo (ele já tem quase 8 anos). Em casa tenho um escritório só meu. E quando eu fecho a porta, está escrito ENTRADA PROIBIDA. É preciso respeitar esse limite. Mas é um deafio diário, porque temos que ser disciplinados.

O que você considera fundamental para o sucesso dessa empreitada?

Disciplina, determinação, um bom network e gente do bem (e competente) para me assessorar. Por mais que a minha produção de conteúdo seja um trabalho solitário, eu não trabalho sozinha. Tenho que ter pessoas muito boas para me assessorar – com experiência, bom senso e, principalmente, de confiança.

edsonbrow7O que você pode fazer no meio da tarde de uma quarta-feira que não faria no modelo tradicional de trabalho?

Posso estar com meu filho tomando um sorvete ou indo ao cinema. Isso não tem preço. Estar perto do Francisco foi um dos grandes ganhos dessa nova vida.

Quais são os ônus desse caminho?

É preciso aprender a se planejar e estar preparado para momentos em que há menos trabalho. Preciso entender que trabalho de verdade por 10 meses do ano, pois em dezembro e janeiro o país praticamente para. Então, tenho que ter recebimentos que deem conta dessa falta de trabalho por dois meses do ano. Se eu quiser ter férias, também tenho que planejar e fazer caixa pra isso. Essa é a parte que eu ainda não aprendi, mas estou aprendendo. Outra coisa difícil que parece ótima para quem está de fora é a falta de rotina. Ela tira a nossa disciplina, aquela com a qual estávamos acostumados quando assalariados. Com os horários de agência, eu conseguia fazer mil coisas no horário de almoço, pois era preciso, então eu me virava e fazia. Como autônoma, o tempo passa mais rápido, porque sou minha própria chefe. E às vezes sou uma chefe muito gente boa…

Recado para quem pensa em subir num tapete voador…

Determinação e certeza do que quer. Nada substitui a felicidade no trabalho. Tenho certeza de que é ela que traz o dinheiro.

Fotos: Edson Brow

Anúncios

1 comentário

  1. Pingback: Links da Semana – número 02 | Vitrine Virtual

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s