Escolhas, Life Style
Deixe um comentário

Desculpe a Demora

Sempre tive pressa. Uma pressa de viver. Nasci no oitavo mês da gestação e, claro, nem precisei de UTI neonatal. O útero até era um lugar bacana, mas aqui fora parecia melhor. Fui a criança no meio de adultos, minhas irmãs adolesciam quando cheguei. Isso me deu pressa de crescer.

Aos 14 anos arrumei meu primeiro emprego. Vetado, é claro, por pais responsáveis. Chorei até os 17, quando finalmente estreei a carteira de trabalho. Eram duas faculdades; inglês, francês e espanhol; e um emprego de meio período.

Seria perfeito se, aos 19, não tivesse adoecido. Um mal-estar súbito, uma cirurgia de urgência, um diagnóstico assustador: câncer. Para tudo! Não, não comigo. Suspendi apenas as fotos de toda e qualquer ordem e a faculdade, essa só por seis meses. Arrumei alunos particulares de inglês – a família do pediatra Márcio Lisboa e o então tarólogo Veet Vivarta, hoje um dos importantes nomes da ANDI –, mencionados aqui em gratidão.

Sarei (bonita palavra, não?), abandonei um dos cursos superiores, me graduei em jornalismo, fui a comunicóloga mais jovem a receber um prêmio Aberje Brasil – aos 23, me mudei para a Inglaterra (levei na mala a mania de fazer dois cursos ao mesmo tempo). Retornei ao Brasil e mergulhei no universo do marketing em saúde.

O ritmo era esse até dezembro de 2014, quando eu e minha ex-sócia descontinuamos as empresas que havíamos estabelecido ao longo de 15 anos (falo sobre isso aqui) e criei o The Flying Carpet Project, com a proposta de ser a primeira plataforma de Workation do País (work + vacation).

O que você faria se fosse livre para trabalhar viajando, se pudesse escolher qualquer destino do planeta a qualquer momento, se sofresse de pressa crônica? Passados 5 meses, eu e meu Tapete não decolamos nem para Goiânia. Nunca passei tanto tempo sem saracotear no aeroporto.

Nesse intervalo, descobri que carecia de tempo de contemplação para criar e escrever; que minha casa andava sem alma; que uma de minhas irmãs já nem sabia direito quem eu era; e que as crianças da família estavam crescendo rápido demais. Nesse meio tempo, limpei os armários, li livros incríveis, revi prioridades, fiz escolhas.

Vou decolar sim, mas sem pressa, sem anúncios prévios, sem compromissos morais. Por enquanto vou ficando por aqui. Em mim.

Foto: Carla Furtado

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s