Todos os posts em: Entrevistas

Desatadoras de Nós

Lili e Nolah deixaram para trás uma vida executiva para se tornarem coaches. Pergunto a elas: mas, afinal, o que faz um coach? A dupla me explica que a linha que adota, a ontológica, busca promover mudanças na forma como o indivíduo vê o mundo. “Nas sessões, criamos contextos para que a pessoa tenha insights, faça novas declarações perante a vida e, com isso, desfaça impossibilidades criadas por ela mesma e que a impedem de realizar o que deseja”, descrevem. Explico que recebo e-mails de pessoas que afirmam ser impossível fazer o que fiz: encerrar um longo ciclo profissional para me tornar uma workation-er. Por isso estou ali. Segundo Lili, as impossibilidades muitas vezes nascem na infância, a partir do que ouvimos ou de como interpretamos o que ouvimos: “Ocorre que não somos mais crianças, hoje é um novo momento. Através da linguagem, das conversas que estabelecemos com o coachee, atualizamos essa realidade e ele consegue abrir novas portas”. Nolah completa: “A palavra é ação. Novas declarações feitas geram novas chances. Você mesmo um dia …

Um Economista em Minha Vida

Em 2013, passei a assessorar o Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (IBEF-DF). Com esse trabalho ganhei outro cliente, o economista José Eustáquio Moreira de Carvalho. Posso dizer sem titubear: se aquele não fosse meu trabalho, era eu que deveria pagá-lo. No Brasil, nossa educação financeira é próxima a zero e a convivência com o financista permitiu que eu me desse conta disso. Nesta entrevista, José Eustáquio responde às perguntas elementares para quem pensa em conciliar um presente prazeroso a um futuro com certa segurança. Uma pessoa que decide trabalhar de maneira autônoma deve poupar quanto do que fatura mensalmente? A atitude de poupar deve independer do tipo de relação que temos com o trabalho. Deve ser adotada tanto para quem tem vínculo empregatício quanto para quem é trabalhador autônomo ou empresário. O valor a ser poupado deve ser estabelecido em função do que se espera da vida futura. Contudo, a recomendação mais comum entre especialistas é a de se investir, no mínimo, 10%. Isso, em aritmética simples, ao final de um ano, garante uma reserva  equivalente a um salário …